Atenção! Você está utilizando um navegador muito antigo e muitos dos recursos deste site não irão funcionar corretamente.
Atualize para uma versão mais recente. Recomendamos o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.

Notícias

Trabalho: Aberta a temporada de estágio

Facebook
Twitter
Google+
LinkedIn
Pinterest
Enviar por E-mail Imprimir
08/07/2013 - 09:12

Estimativa é de que pelo menos 1,6 mil vagas serão abertas somente este mês em Goiânia e outros municípios do Estado

Está aberta a temporada pela busca a uma vaga de estágio. Considerada a segunda melhor época do ano, são estimadas a abertura, somente este mês, de pelo menos 1,6 mil vagas distribuídas em Goiânia e municípios do interior do Estado, como Anápolis, Rio Verde, Catalão, Luziânia e Itumbiara.

Um dos principais elos entre empresas, acadêmicos e instituições de ensino, o estágio pode ser o pontapé inicial para o ingresso no mercado de trabalho. E os números demonstram que essa iniciativa vem dando certo.

Dados da última pesquisa do Centro de Integração Empresa-Escola de Goiás(Ciee - GO) apontam que 64% dos candiados do primeiro estágio foram absorvidos pelas empresas.

Já os números do Instituto Euvaldo Lodi (IEL) de Goiás são ainda mais expressivos: 72% dos estagiários são contratados pelas empresas após a conclusão do curso universitário. As áreas com maior número demanda são administração, direito, contabilidade, informática e engenharia, em seus diversos segmentos.

experiência

Para a gerente do Programa de Estágio e Emprego do IEL, Tarciana Nascimento, a experiência de um estágio permite que o estudante coloque em prática aquilo que aprende na sala de aula, reconheça suas áreas de aptidão, além de estar um passo à frente de outros estudantes no momento de um recrutamento. “O aprendizado é muito mais eficaz na prática”, avalia.

“É nítida a diferença de um jovem que fez estágio antes de se formar para outro que não exerceu essa atividade”, pontua o supervisor do Ciee Goiás, Guilherme Rosa. Ele explica que o estagiário identifica a realidade da profissão e ainda consegue ampliar seu network.

Uma dúvida que costuma surgir na cabeça de um estagiário diz respeito à quantidade de experiências profissionais que ele deve abraçar. Como algumas áreas permitem que o estudante entre no programa de estágio já no primeiro semestre, há possibilidades dele trabalhar em diversas empresas antes da conclusão do curso. Tarciana orienta o estudante a escolher uma vaga no qual ele se identifique.

“Isso dá mais segurança e vontade de permanecer”, explica. Porém, ela lembra que alguns estudantes preferem aprender um pouco de cada segmento. “Isso é uma questão de perfil”, acrescenta.

empresa

Guilherme Rosa recomenda a permanência em uma empresa, pelo menos, pelo período de um ano. “É uma referência mais sólida. Não justifica ele ter grande volume de estágio”, diz.

Os profissionais lembram que as empresas têm sabido aproveitar os estagiários, os efetivando após a conclusão dos cursos universitários. Para eles, essa é uma forma de contratação mais assertiva.

“Ele molda um profissional de acordo com sua estrutura organizacional”, diz Tarciana. “É muito mais fácil e barato contratar o estagiário do que outra pessoa em um recrutamento externo”, complementa Guilherme.

Fonte: Jornal O Popular