Atenção! Você está utilizando um navegador muito antigo e muitos dos recursos deste site não irão funcionar corretamente.
Atualize para uma versão mais recente. Recomendamos o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.

Notícias

STJ dá nova chance para poupadores do BB terem revisão do Plano Verão

Facebook
Twitter
Google+
LinkedIn
Pinterest
Enviar por E-mail Imprimir
20/03/2013 - 09:28

Clientes do Banco do Brasil que tinham dinheiro na poupança e foram afetados pelo Plano Verão em 1989, mas perderam o prazo para a revisão (que venceu em 2009), agora têm uma nova chance para conseguir o reajuste.

O STJ (Superior Tribunal de Justiça) entendeu que uma ação civil pública movida pelo Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) e que teve ganho de causa em 2009 é válida para clientes do banco em todo o país.

Em nota, o BB informou que irá recorrer da decisão e que o entendimento do STJ na ação coletiva está "equivocado". O banco não se pronunciou sobre quantos clientes podem ser beneficiados.

Para pedir a correção, o advogado especialista em poupança Alexandre Berthe diz que os clientes do BB devem entrar na Justiça com uma ação de execução da sentença. Para isso, precisam acionar um advogado, obter uma carta de sentença da ação proposta pelo Idec, os extratos da poupança de janeiro e fevereiro de 89 e dizer, no pedido, o valor que têm receber.

O número do processo é o 1998.01.1.016798-9, na 12ª Vara Cível da Circunscrição Especial Judiciária de Brasília.

Segundo o Idec, têm direito a exigir a correção os consumidores que possuíam saldo em conta-poupança no Banco do Brasil em janeiro de 1989 com aniversário (ou data-base/data de remuneração) entre os dias 1º e 15 do mês e a devolução tem correção monetária e juros de mora contados desde a data em que o banco soube da ação, em 1993.

Se o titular da poupança já morreu, o valor devido pode ser pedido pelos seus herdeiros.

A RECEBER

Para calcular quanto tem a receber, o Idec diz que primeiro o cliente deve multiplicar o saldo da poupança em janeiro de 89 --em Cruzados Novos (NCz$)-- por 0,2046 (percentual não creditado pelo banco) e por 19,59774 (índice poupança em março de 2013) para obter o valor atualizado em reais.

Esse valor atualizado deve ser somado aos juros moratórios (180% no caso do BB, segundo o instituto) para se chegar ao valor devido pelo banco.

Como exemplo, em seu site o Idec diz que, para quem tinha NCz$ 1.000,00 de saldo na caderneta de poupança na época, o valor atualizado é R$ 4.009,69 --sem contar ao juro da mora.

Fonte: Folha de São Paulo


Tópicos:
visualizações