Atenção! Você está utilizando um navegador muito antigo e muitos dos recursos deste site não irão funcionar corretamente.
Atualize para uma versão mais recente. Recomendamos o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.

Notícias

Reunião de negociação permanente com a CAIXA ECONÔMICA FEDERAL

Facebook
Twitter
Google+
LinkedIn
Pinterest
Enviar por E-mail Imprimir
19/12/2012 - 10:39
reunio-caixa-126161713.png
Nesta terça-feira (18/12), em Brasília, a Comissão Executiva Bancária Nacional de Negociação - CEBNN/CONTEC se reuniu com a CAIXA ECONÔMICA FEDERAL para primeira reunião de negociações da mesa permanente após assinatura do Acordo Coletivo de Trabalho 2012/2013. A comissão Caixa teve a coordenação do empregado Almir Márcio Miguel e a Comissão CONTEC teve a coordenação da Diretora de Finanças da entidade, Rumiko Tanaka. O presidente da CONTEC, Lourenço Ferreira do Prado, também acompanhou as negociações de interesses dos empregados do banco.

A reunião teve inicio com a denúncia por parte da CONTEC acerca de posturas e procedimentos com relação a gestão das equipes. Alguns superintendentes e gestores insistem em adotar práticas de pressão, ofensas e procedimentos pouco recomendáveis na obtenção de resultados. Comportamento que diverge das novas práticas de gestão de Recursos Humanos, que a Caixa tem apresentado em mesa de negociação. Foi colocado pela Caixa que os gestores estão sendo convocados para cursos de treinamento em gestão de pessoas. Segundo o Banco, a proposta é atingir todo o quadro de gestores. Informou ainda que haverá curso de liderança, em parceria com a FEBRABAN, que serão regionalizados, cuja meta é treinar todos gestores.  
Os representantes da empresa esclareceram que o planejamento estratégico da empresa prevê maximizar obtenção de metas e gestão de pessoas no mesmo nível de excelência.  

A CONTEC também denunciou o desvio de função dos CAEx em algumas unidades, onde os mesmos estão sendo cobrados de atribuições não inerentes a sua função, tais como: abertura de contas, venda de produtos diversos, entre outras atribuições.

A comissão CONTEC colocou para a Caixa o exagero das atribuições do Tesoureiro nas agências, que atua na maioria dos  casos sozinho, fazendo o abastecimento dos caixas, sala de auto atendimento, acompanhamento do bom funcionamento dos cash's, auditoria quando há diferenças, controle e conformidade de todas as operações da agência, além da gestão de recursos humanos, quando da existência de técnicos bancários na unidade de retaguarda.

Foi cobrado também a adequação da jornada de trabalho de tesoureiro para 6 horas, tendo em vista alteração na jurisprudência do TST. A CONTEC destacou que o TST vem dando ganho de causa a todas as ações trabalhistas movidas por esses empregados. A comissão dos empregados ainda cobrou a necessidade de uma valorização salarial para os tesoureiros, tendo em vista as importância das atribuições dos mesmos.

Outra cobrança apresentada a CAIXA foi a normatização da relação com os correspondentes imobiliários,  tendo em vista denúncias de trabalho desses correspondentes dentro das unidades da Caixa, em muitos casos utilizando estrutura das agências, tais como computador, impressora, mesas e cadeiras. O que além de ser ilegal, pode gerar passivo trabalhista para empresa e insegurança das informações e documentos pertencentes a CAIXA.
 
Com relação a compensação dos dias de greve, a comissão CAIXA informou que o  processo teve fim e o banco de horas foi zerado.

Cobrada pela atualização e modernização da sua estrutura tecnológica, a Caixa informou que está praticamente concluído o novo data Center em parceria com o Banco do Brasil, além de aquisição de novos equipamentos que serão disponibilizados brevemente a todas as unidades.

Sobre a continuidade da utilização da senha gerencial para a autenticação dos CAEx, burlando o SIPON, a Caixa informou que a implantação do login único deverá ocorrer até junho de 2012, o que deverá por fim a esse problema.

Questionada a respeito do andamento da proposta de valorização da carreira profissional, a Caixa respondeu que já foi aprovada por todas as instâncias internas e que a proposta se encontra em avaliação do Ministério da Fazenda e do DEST, aguardando a aprovação daqueles órgãos, para sua definitiva implantação.  

Avaliação:
A reunião foi avaliada positivamente, tendo em vista o posicionamento da Caixa sobre providências na solução de alguns problemas apresentados e também pela continuidade da negociação permanente que nos possibilita a apresentação de várias denúncias e problemas durante a vigência do acordo coletivo.  

Fonte:  CONTEC

Tópicos:
visualizações