Atenção! Você está utilizando um navegador muito antigo e muitos dos recursos deste site não irão funcionar corretamente.
Atualize para uma versão mais recente. Recomendamos o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.

Notícias

Refém relata momentos de terror em Cavalcante: 'Escudo humano'

Facebook
Twitter
Google+
LinkedIn
Pinterest
Enviar por E-mail Imprimir
06/02/2013 - 08:46

         Moradores de Cavalcante, cidade turística no nordeste de Goiás, viveram momentos de terror nesta terça-feira (5). Homens fortemente armados invadiram a cidade, assaltaram um banco e fizeram cerca de 20 pessoas reféns. "Nos usaram como escudo humano", relatou uma das vítimas, que preferiu não ser identificada.

         A ação dos criminosos começou logo depois da abertura do banco, às 10h30. Segundo a polícia, parte do grupo cercou a agência, enquanto alguns homens entraram no banco. Quando a PM chegou, foi recebida a balas, iniciando um intenso tiroteio que, de acordo com testemunhas, durou mais de meia hora.

 

Para fugir do cerco, os assaltantes invadiram uma loja que fica ao lado da agência bancária. Cerca de 20 pessoas foram feitas reféns.

"Tinha umas seis, sete pessoas dentro da loja. O que eles conseguiram que estavam dentro da agência ou passando na rua. fizeram uma fileira com a gente. Mandaram os homens tirarem as camisas e servimos de escudo humano até que eles entraram no carro", relatou a vítima em entrevista à TV Anhanguera.

O homem relatou que, inicialmente, os assaltantes falavam que não machucariam ninguém e só queriam o dinheiro do banco. Mas após um deles ser baleado por policiais, os criminosos ficaram nervosos. "Eles falavam que iam começar a matar os reféns para ver se a polícia parava", conta o morador.

  •  
Carro queimado após assalto a banco em Cavalcante, Goiás (Foto: Divulgação)
Carro foi queimado e abandonado em ponte após assalto a banco (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Por volta das 12h, os criminosos conseguiram entrar em dois veículos, um carro e uma caminhonete, e levaram parte dos reféns. "Uns foram dentro do carro, outros dentro da cabine e outros na carroceria, inclusive eu", detalha a vítima.

Os assaltantes liberaram os reféns ao longo da rota de fuga. Parte ficou na saída da cidade, e outra parte na estrada que dá acesso à cidade de Minaçu. Ao chegar em uma ponte de madeira, os criminosos libertaram as vítimas restantes e, para impedir a perseguição policial, eles colocaram fogo em um dos veículos usados na fuga.

Assalto a banco em Cavalcante, Goiás (Foto: Divulgação)
Tiros quebraram vidraças de banco durante
assalto (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

O banco não divulgou a quantia levada no assalto. Assessor do prefeito da cidade, Alaíres Gonçalves dos Santos disse ao G1, por telefone, que o pagamento da folha de funcionários da prefeitura havia sido liberado nesta terça. "Mas hoje também é dia de aposentados e pensionistas receberem", explicou o assessor.

Comércio
O assalto quebrou a rotina tranquila da pequena cidade de pouco mais de 9 mil habitantes, onde está a sede do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Nascida e crianda em Cavalcante, a empresária Creusa França, de 58 anos, disse ao G1 que nunca viu nada igual na região. 

Proprietária de um posto de gasolina, Creusa conta que ela e todos os comerciantes da cidade fecharam as portas. "Foi tiro demais, por cerca de meia hora. Corremos para dentro e ficamos dentro do quarto. A única coisa que a gente podia fazer era rezar", relata.

Durante a tarde, equipes do Grupamento Aéreo da Polícia Militar de Goiás (Graer) e da PM de Brasília reforçaram a busca pelos criminosos. Mas até a noite desta terça, ninguém havia sido preso.

Fonte: G1

Veja a reportagem levada ao ar pela TV Anhanguera 

http://g1.globo.com/goias/noticia/2013/02/refem-relata-momentos-de-terror-em-cavalcante-escudo-humano.html


Tópicos:
visualizações