Atenção! Você está utilizando um navegador muito antigo e muitos dos recursos deste site não irão funcionar corretamente.
Atualize para uma versão mais recente. Recomendamos o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.

Notícias

Ministro da Fazenda, Guido Mantega, pode deixar o governo na sexta-feira

Facebook
Twitter
Google+
LinkedIn
Pinterest
Enviar por E-mail Imprimir
26/11/2014 - 09:24

Presidente Dilma Roussef deve anunciar a troca da equipe econômica ainda esta semana, com Joaquim Levy à frente da pasta


Ministro da Fazenda mais longevo da história do país, Guido Mantega deve deixar a pasta nesta sexta-feira (28/11). Segundo integrantes do governo, ele teria acertado a saída com a presidente Dilma Rousseff. A expectativa é de que o Palácio do Planalto anuncie nesta quinta-feira a nova equipe econômica. A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, também deve sair esta semana.

Com isso, Dilma poderia dar posse a Joaquim Levy, na Fazenda, e a Nelson Barbosa, no Planejamento, ainda na sexta-feira ou na próxima segunda-feira. Os dois já estão em Brasília para definir as equipes e as diretrizes da nova política econômica.

Mantega é o ministro mais importante do governo Dilma e teve forte influência na administração da petista ao longo dos últimos quatro anos. Ele se destacou, sobretudo, em 2008, quando, em meio à crise mundial, apresentou ao governo Lula medidas anticíclicas que permitiram ao país sair mais rápido das turbulências internacionais.

O problema é que, no entender dos especialistas, o governo estendeu demais as medidas que privilegiavam o consumo. Esse modelo se mostrou esgotado e criou muitos ruídos nos mercados. Com isso, os investimentos produtivos se retraíram, a inflação subiu e ficou, persistentemente, no teto da meta, e o Produto Interno Bruto (PIB) encolheu.

A boa notícia para Mantega é que ele poderá se despedir do cargo anunciando que o país saiu da recessão. Pelas estimativas do mercado, o PIB do terceiro trimestre, que será divulgado na sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), tenha crescido entre 0,1% e 0,2%. Nos dois primeiros trimestres do ano, houve retração de 0,2% e 0,6% respectivamente.

 

Fonte: Correio Braziliense
Tópicos:
visualizações