Atenção! Você está utilizando um navegador muito antigo e muitos dos recursos deste site não irão funcionar corretamente.
Atualize para uma versão mais recente. Recomendamos o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.

Notícias

Mercado: BC atua e analistas veem piso de R$ 1,95 para dólar

Facebook
Twitter
Google+
LinkedIn
Pinterest
Enviar por E-mail Imprimir
12/03/2013 - 09:32

São Paulo - Um leilão realizado ontem pelo Banco Central (BC) no mercado futuro de câmbio deixou analistas e operadores com a impressão de que, para o governo, o “novo” piso da moeda norte-americana é de R$ 1,95. A venda do chamado contrato de swap cambial reverso equivale, na prática, à compra de dólar pelo BC.

Com isso, a tendência de queda da moeda norte-americana verificada logo na abertura dos negócios foi revertida. No fim do dia, a moeda dos Estados Unidos se valorizou 0,41%, para R$ 1,958. No acumulado do ano, o dólar perde pouco mais de 4% ante o real.

Bovespa

O Ibovespa encerrou a sessão de ontem com valorização de 0,19%, aos 58.544,79 pontos. Na mínima, registrou 57.800 pontos (-1,08%) e, na máxima, 58.547 pontos (+0,19%).

As ações da Vale foram as primeiras a virarem para cima, depois que a empresa anunciou que vai suspender a implementação do projeto Rio Colorado, na Argentina. Vale ON subiu 0,91% e PNA, 1,44%. Já Petrobras ON subiu 2,93% e a PN, 3,05%. OGX, no entanto, foi o diferencial. Desabou 14,79%, por causa dos dados de produção que mostraram volume médio de 16,8 mil barris de óleo equivalente por dia (boepd) no mês de fevereiro.

Focus

Os economistas consultados pelo Banco Central na pesquisa semanal Focus começaram a rever suas projeções para a taxa básica de juros neste ano. A projeção para a Selic no fim de 2013, que era de manutenção dos atuais 7,25% até dezembro, subiu para 8% ao ano.

Muitos analistas revisaram suas projeções após a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) da última quarta-feira. Apesar de não ter mexido nos juros, a instituição disse que pode rever sua estratégia de política monetária, que até o início do mês era de estabilidade dos juros “por um período suficientemente prolongado”, deixando aberta a possibilidade de alta da taxa em breve.

Fonte: Jornal O Popular


Tópicos:
visualizações