Atenção! Você está utilizando um navegador muito antigo e muitos dos recursos deste site não irão funcionar corretamente.
Atualize para uma versão mais recente. Recomendamos o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.

Notícias

Itaú lidera pessimismo e derruba PIB

Facebook
Twitter
Google+
LinkedIn
Pinterest
Enviar por E-mail Imprimir
05/06/2013 - 09:23

Banco presidido por Roberto Setúbal reduz estimativa de crescimento da economia este ano de 2,8% para 2,4%; olhando mais à frente, equipe do economista-chefe Ilan Goldfajn corta aposta também para 2014, deixando de acreditar em 3,3% de crescimento para divulgar 2,8%; no curto prazo, porém, instituição reconhece que "PIB da indústria deverá crescer em ritmo mais forte no segundo semestre"

5 de Junho de 2013 às 03:36

247 – Diante de uma economia que vai sendo vista como um copo com água até a metade – meio cheio e meio vazio --, o banco Itaú Unibanco das famílias Setúbal e Moreira Salles já fez seu ponto focal. Após a elevação, pelo Copom, de 0,5 ponto percentual na taxa de juros e a divulgação do PIB com 0,6% de crescimento no primeiro trimestre sobre o mesmo período anterior, a instituição correu suas apostas para os números do pessimismo.

Em divulgação oficial, o Itaú fez previsões que reduziram a última estimativa de alta do PIB em 2013 de 2,8% para 2,4% e, para 2014, de 3,3% para 2,8%. "A surpresa para baixo do crescimento da economia no primeiro trimestre reduziu o carrego estatístico para 2013", afirmou nota oficial.

No entanto, o banco que tem como sócio e economista-chefe o ex-diretor do Banco Central Ilan Goldfjan, autor de artigos que pregam doses incertas de desemprego no combate à inflação e ao aquecimento da economia, reconheceu que, a curto prazo, a economia brasileira vai apresentar boas notícias. "O PIB da indústria deve crescer a um ritmo mais forte no segundo trimestre, mesmo com a perspectiva de crescimento mais lento da produção industrial", registrou o texto.

Para não deixar qualquer dúvida sobre vislumbrar, nessa projeção, uma alteração de suas previsões negativas, a nota prosseguiu: "O conjunto amplo de dados relacionados à atividade econômica continua a mostrar baixa disseminação do crescimento", avaliou.

Se havia dúvida sobre quem pode ser líder do time dos pessimistas quanto ao crescimento da economia brasileira, o Itaú está se escalando para jogar com a braçadeira de capitão.

Fonte: 247


Tópicos:
visualizações