Atenção! Você está utilizando um navegador muito antigo e muitos dos recursos deste site não irão funcionar corretamente.
Atualize para uma versão mais recente. Recomendamos o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.

Notícias

IPC-S acelera alta para 0,35% em junho ante maio, diz FGV

Facebook
Twitter
Google+
LinkedIn
Pinterest
Enviar por E-mail Imprimir
01/07/2013 - 11:07

Índice também desacelerou na comparação com a 3ª prévia do mês.
Indicador acumula alta de 3,29%, no ano, e 6,22%, nos últimos 12 meses.

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) acelerou ligeiramente para alta de 0,35% em junho, depois de encerrar maio com elevação de 0,32%, informou Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta segunda-feira (1º).

ENTENDA A INFLAÇÃO, SUAS CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS

A inflação é uma alta persistente e generalizada dos preços. Provocada pelo desequilíbrio entre oferta e demanda, pelo excesso de moeda ou por gastos públicos elevados, entre outras causas, ela provoca perda do poder de compra e reduz a eficiência da economia. Leia mais

O indicador mostrou também leve desaceleração na comparação com a terceira quadrissemana de junho, quando houve alta de 0,37%. Com esse resultado, o indicador acumula alta de 3,29%, no ano, e 6,22%, nos últimos 12 meses.

Em junho, duas das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram desaceleração de suas taxas de variação: alimentação (de 0,20% para 0,02%) e vestuário (de 0,71% para 0,59%), com destaque para os preços de frutas (de 0,94% para -1,33%) e roupas femininas (de 0,93% para 0,70%).

Na contramão, registraram acréscimo em suas taxas de variação os grupo saúde e cuidados pessoais (de 0,34% para 0,48%); dducação, leitura e recreação (de 0,23% para 0,35%); habitação (de 0,64% para 0,67%); transportes (de 0,29% para 0,30%); comunicação (de 0,22% para 0,23%); e despesas diversas (de 0,14% para 0,16%).

Para cada uma destas classes de despesa, tiveram destaques as variações dos itens: medicamentos em geral (-0,08% para 0,23%), passagem aérea (5,21% para 12,66%), tarifa de eletricidade residencial (0,18% para 0,43%), gasolina (-0,71% para -0,47%), tarifa de telefone móvel (0,55% para 0,74%) e clínica veterinária (0,57% para 0,94%).

Fonte: G1



Tópicos:
visualizações