Atenção! Você está utilizando um navegador muito antigo e muitos dos recursos deste site não irão funcionar corretamente.
Atualize para uma versão mais recente. Recomendamos o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.

Notícias

Economia pode se recuperar no segundo semestre, diz Levy

Facebook
Twitter
Google+
LinkedIn
Pinterest
Enviar por E-mail Imprimir
02/06/2015 - 08:47

Ministro da Fazenda participa de vento organizado pelo FMI nos EUA.
Ele apontou necessidade de tomar 'providências necessárias com rapidez'.

A economia brasileira pode começar a se recuperar no segundo semestre deste ano, caso o governo seja rápido em implementar uma série de medidas que têm o objetivo de reconquistar a confiança dos investidores, disse o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, nesta segunda-feira (1).

Falando a repórteres antes de um evento organizado pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), em Washington, Levy disse que o governo precisa focar nas reformas para trazer investimento ao país.

"Se nós tomarmos as providências necessárias com rapidez, nós temos bastante chance de ver um segundo semestre, uma segunda metade do ano, favorável para economia", disse.

"No momento, temos que começar a focar cada vez mais em reformas do lado da oferta", disse Levy, referindo-se a medidas que poderiam impulsionar a produtividade ao simplificar o sistema tributário e reduzir a burocracia.

Mais tarde, durante o evento organizado pelo FMI, Levy disse que o Brasil está se preparando para enfrentar uma desaceleração econômica global "persistente".

PIB em queda
A economia brasileira registrou queda de 0,2% no primeiro trimestre de 2015, puxada pelo desempenho negativo do setor de serviços e da indústria, bem como pelo recuo do consumo das famílias e dos investimentos. Neste início de ano, o que evitou um tombo ainda maior do PIB foi a agropecuária.

Os números foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na sexta-feira (29).

Frente aos três primeiros meses do ano passado, a retração foi ainda maior, de 1,6%, com destaque para a primeira queda do consumo das famílias desde o terceiro trimestre de 2003.

Fonte: G1

Tópicos:
visualizações