Atenção! Você está utilizando um navegador muito antigo e muitos dos recursos deste site não irão funcionar corretamente.
Atualize para uma versão mais recente. Recomendamos o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.

Notícias

Com mudança na PLR, empregado pode ter de se reorganizar

Facebook
Twitter
Google+
LinkedIn
Pinterest
Enviar por E-mail Imprimir
25/02/2013 - 10:07

São Paulo - A mudança na tributação da Participação nos Lucros e Resultados (PLR), que agora é feita na fonte e é isenta até R$ 6.000, pode mudar a forma de investimento na previdência privada, em alguns casos, para o empregado que tem um Plano Gerador de Benefício Livre (PGBL). Quem investe em PGBL pode deduzir do Imposto de Renda o valor aplicado no plano no limite de 12% da sua renda bruta anual tributável. Só que agora a PLR não compõe mais o total no qual incidem os 12%. Logo, a dedução parte de uma base menor.

Os especialistas afirmam que, em geral, essa “perda” é compensada pelo benefício tributário, mas em alguns casos - sobretudo se a PLR for muito alta - o contribuinte pode ter de se reorganizar. Para o presidente da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (FenaPrevi), Osvaldo Nascimento, a recomendação é que quem já aplicava 12% da renda anual em PGBL continue a fazer isso.

Fonte: Jornal O Popular


Tópicos:
visualizações