Atenção! Você está utilizando um navegador muito antigo e muitos dos recursos deste site não irão funcionar corretamente.
Atualize para uma versão mais recente. Recomendamos o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.

Notícias

Benefício do IR: Patrão de doméstico terá direito por mais 4 anos

Facebook
Twitter
Google+
LinkedIn
Pinterest
Enviar por E-mail Imprimir
09/10/2014 - 08:50

Benefício, que vem sendo prorrogado a cada quatro anos, valerá até 2018 e poderá ser incluído na declaração de 2019

São Paulo - O governo decidiu prorrogar por mais quatro anos o benefício que permite aos empregadores domésticos abater, na declaração anual do Imposto de Renda, o valor correspondente à contribuição de 12% paga por eles ao INSS.

O benefício vem sendo prorrogado a cada quatro anos. Pela sistemática atual, ele vigoraria apenas até este ano -ou seja, valeria ainda para as declarações a serem entregues em 2015. Com a prorrogação, o benefício valerá até 2018 e poderá ser incluído nas declarações a serem entregues em 2019.

A prorrogação foi adotada pela medida provisória número 656, publicada no Diário Oficial da União de ontem, que promoveu diversas alterações na legislação tributária federal.

O benefício somente poderá ser usado pelo contribuinte que tem empregado doméstico com registro em carteira e faz declaração usando todas as deduções legais permitidas pela legislação do IR (o chamado “modelo completo”).

O valor corresponde à contribuição de 12% paga pelo empregador ao incidente sobre o salário mínimo federal (mesmo que o salário seja maior, o cálculo tem de ser feito sobre o salário mínimo federal).

Para este ano (referente à declaração anual a ser entregue em 2015), o valor máximo que poderá ser deduzido será de R$ 1.152,88.

Este valor corresponde a uma contribuição sobre R$ 678 (salário mínimo em dezembro de 2013, ou R$ 81,36), 12 contribuições sobre R$ 724, que é o salário mínimo atual (ou R$ 86,88, no total de R$ 1.042,56 -neste valor está incluída a contribuição sobre o 13º salário) e mais R$ 28,96 (um terço de R$ 86,88, ou seja, considera-se que o empregado gozou férias em 2014).

Fonte: Jornal O Popular

Tópicos:
visualizações